Como fazer um orçamento anual para a sua empresa?

Toda a empresa que tem o mínimo de organização financeira – e de ambição – precisa manter um bom orçamento anual. Ele é fundamental para o controle das finanças e para o planejamento empresarial.

Essa ferramenta deve, portanto, servir de base para as grandes decisões referentes aos negócios.

Para isso, porém, é necessário contar com um orçamento detalhado, com estimativas que levem em consideração tanto a receita quanto os gastos da empresa. Neste artigo, vamos falar sobre como fazer um orçamento anual completo e útil para o crescimento da organização.

Continue lendo para entender a sua importância e ter dicas sobre a melhor forma de utilizar essa ferramenta.

 O que é um orçamento anual e por que ele é importante?

Em linhas gerais, o orçamento é um cálculo aproximado do custo de algo. No caso de uma corporação, trata-se da previsão de receitas e despesas para um determinado período. Geralmente, as empresas trabalham com um orçamento anual.

Como parte da gestão financeira, essa ferramenta é utilizada para planejar como serão utilizados os recursos da empresa no período de um ano. O orçamento anual deve prever como será distribuída a receita entre os diferentes custos, despesas e, se for o caso, investimentos.

Fazer essa estimativa fornece uma visão geral da saúde financeira no negócio, garante o controle das finanças e permite que haja um equilíbrio entre gastos e lucros. Além disso, somente a partir da elaboração de um orçamento, é possível fazer um planejamento para traçar metas e focar em estratégias mais acertadas de crescimento da empresa.

Dicas para fazer um orçamento anual

Há alguns pontos importantes a serem levados em consideração na hora de delinear previsões financeiras para um negócio. É indispensável, por exemplo, imaginar diferentes cenários. Isso assegura que a organização não seja pega de surpresa caso algo não saia exatamente como o previsto.

Abaixo listamos algumas dicas sobre como deve ser feito o orçamento anual da sua empresa. É hora de tirar todas as suas dúvidas!

1. Utilize uma planilha

O melhor suporte para fazer um orçamento anual certamente é uma planilha financeira. Usando o mecanismo adequado, é possível fazer simulações interessantes e também analisar de modo preciso todos os dados em questão.

Além disso, você pode projetar os meses em abas diferentes e utilizar cores para diferenciar os tipos de custos ou as áreas da empresa.

A planilha permite uma visão bem completa da situação dos negócios e você pode acessá-la periodicamente para acompanhar o andamento das finanças.

2. Defina os indicadores relevantes

É verdade que é importante incluir todas as informações acerca da sua organização no orçamento. No entanto, é preciso dar mais destaque aos indicadores que são mais relevantes para a sua empresa no período em questão. Estimativas importantes, como volume de vendas, turnover e taxa de crescimento são fatores que deveriam merecer uma atenção maior.

3. Descreva gastos previstos no período

Um orçamento anual deve conter todas as “despesas” previstas naquele ano. Considere, portanto, não apenas os custos envolvidos na produção ou as despesas mensais – como aluguel, suprimentos, encargos trabalhistas, impostos, etc. Inclua também o capital que será utilizado em possíveis investimentos.

4. Divida os gastos por áreas

A classificação dos gastos facilita muito a vida dos gestores em uma tabela de orçamento anual. Isso não somente na hora de monitorar as estimativas e compará-las à realidade da empresa. Ao dividir os gastos por área, você consegue identificar facilmente quais setores geram mais receitas ou despesas. Distribua as informações referentes ao setor comercial, produtivo, logística e etc.

A partir disso, realizar um controle financeiro e, se for o caso, definir estratégias de redução de custos se torna muito mais simples.

5. Deixe uma margem de segurança

Um orçamento anual é sempre uma projeção, uma tentativa de previsão em relação a como será o ano da empresa. Sendo assim, ele sempre está sujeito a equívocos ou a imprevistos. Contudo, como o orçamento é utilizado como base para decisões essenciais, é importante que você inclua uma pequena “folga” nos cálculos.

Ela dará uma margem de segurança que ajuda a evitar rombos, caso algum cálculo esteja mal feito ou surjam imprevistos ao longo do ano.

6. Trabalhe com diferentes cenários

Previsões ou estimativas são sempre baseadas em suposições e probabilidades. Prever de fato como será o ano da sua empresa é impossível. Porém, você pode ter planos para enfrentar as adversidades ou oportunidades que irão se apresentar.

Para estar preparado, é crucial trabalhar com alguns cenários diferentes: trata-se de detectar diferentes possibilidades de acontecimentos e de ações em contextos distintos.

É recomendável que um orçamento anual trabalhe com pelo menos três cenários possíveis. O cenário otimista é composto por projeções de receitas e gastos que correspondem àquilo que você gostaria que acontecesse. Nesse caso, se se confirmarem, os resultados podem ser bem mais satisfatórios do que uma previsão mais realista poderia estimar.

Por outro lado, em um cenário realista, as projeções devem ficar mais próximas da realidade e não há muita folga no orçamento. Por fim, em um cenário pessimista, alguns imprevistos impediram que as metas das empresas fossem alcançadas e que os gastos ou ganhos fossem corretamente previstos.

7. Alinhe o orçamento ao planejamento

Não faz sentido planejar um crescimento de 50% nos negócios, se o orçamento anual da empresa não prevê nenhum tipo de investimento. Também não parece coerente desejar aumentar o seu lucro se você não projetar um corte nos custos de produção, por exemplo.

O que estamos querendo dizer é que o orçamento deve estar alinhado ao seu planejamento, ou seja, às estratégias relativas ao desenvolvimento da empresa.

8. Acompanhe e faça uma avaliação ao final do período

Além de ser importante para manter o controle das finanças, realizar um acompanhamento regular para verificar se as coisas estão saindo conforme o esperado é fundamental e permite que algumas situações negativas sejam evitadas.

Ao final do período em questão, chegará o momento de avaliar os resultados alcançados no ano e compará-los às suas projeções. No entanto, para isso, além do orçamento anual, é necessário ter um controle detalhado das finanças da empresa. Isso é possível por meio do uso de ferramentas adequadas de gestão financeira.

 

Compartilhe:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *